Policiais civis podem entrar em greve no Paraná

16/01/2012 23:41

Pelo menos 150 membros do Sindicato dos Policiais Civis de Londrina e Região (Sindipol) se reuniram em assembleia, na noite desta segunda-feira (16), para discutir indicativo de greve. A categoria pede recomposição salarial e melhores condições de trabalho. O sindicato decidiu adiar a discussão para o dia 8 do próximo mês. A categoria promete paralisar os serviços caso a situação continue como está até a data do novo encontro.

O presidente do Sindipol Londrina, Ademílson Batista, acredita que, neste meio-tempo, os policiais vão conseguir negociar as reivindicações com o Governo do Estado. "O secretário de Segurança Pública [Reinaldo de Almeida César Sobrinho] sinalizou positivamente aos nossos pedidos e garantiu que haverá negociação. Vamos dar este voto de confiança ao governo e esperar pelos benefícios até o início do próximo mês", explicou.

A categoria pede que o salário inicial do policial civil seja elevado a nível superior. "Apesar de corrermos riscos, ganhamos pouco. Atualmente, o vencimento gira em torno dos R$ 2,7 mil mensais", destacou.

Outra reivindicação está relacionada às precárias condições de trabalho. "Não temos estrutura. As armas e viaturas estão sucateadas. Muitos investigadores estão sendo utilizados como carcereiros em distritos superlotados. Queremos mudanças", argumentou o presidente do Sindipol.

A categoria em Londrina acatou o que já havia sido decidido pelos policiais em todo o estado. "Adiamos a discussão por acreditar no Governo Estadual." Entretanto, Batista reiterou que se a situação continuar como está, haverá paralisação. "Sem dúvida iremos fazer greve. Não queremos prejudicar a população, mas precisamos lutar pelos nossos interesses", justificou.