Jovem grávida morre em acidente na BR 369

13/10/2011 23:51

Um grave acidente na tarde desta quinta-feira (13) no km 475 da BR 369 resultou em três pessoas feridas e duas mortas. Um jovem de 24 anos e uma gestante de aproximadamente sete meses, morreram na batida, que envolveu um veículo Parati com placas de Mandaguari e uma Caminhonete S-10 com placas de Goioerê. Tudo aconteceu próximo a Ouro Verde, distrito de Corbélia.

O pedreiro Edson Diniz, trabalhava próximo ao local e conta que ouviu um grande barulho no momento do acidente. “Escutei um choque e já falei aconteceu alguma coisa, meu colega que trabalhava comigo veio até aqui e disse foi acidente mesmo. Cheguei aqui e vi essa cacetada”, afirma.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), chovia no momento do acidente. Com o impacto o motor da Caminhonete foi parar a aproximadamente 50 metros do veículo.

Na Parati estavam quatro pessoas, já na S-10 apenas a condutora, Sandra Ribeiro Santana, 46 anos, que sofreu ferimento moderados. “No total foram cinco vítimas, três foram atendidas por equipes da Viapar, uma com ferimentos graves e outras duas com ferimentos moderados, as outras duas vítimas da Parati, já estavam em óbito quando chegamos ao local”, relata o tenente do Corpo de Bombeiros, Felipe Santos.

O perito do instituto de criminalística esteve no local para fazer os levantamentos da possível causa do acidente. “A princípio houve uma colisão fronto - lateral esquerda, característica de ultrapassagem. Pelo que pude constatar a Caminhonete invadiu a pista contrária, o condutor da Parati tentou desviar, mas não conseguiu. A Parati seguia sentido Maringá e a S-10 sentido Cascavel”, afirma o perito do Instituto de Criminalística, Alex Tavares.

As vítimas fatais foram identificadas como Wesley Rafael Monteiro, condutor da Parati, e a passageira, Karine Ricci, 21 anos, que estava grávida.

Após serem removidos das ferragens, os corpos foram levados ao IML (Instituto Médico Legal) de Cascavel. De acordo com comerciantes das proximidades do local onde o acidente aconteceu às batidas são comuns no trecho, principalmente nos dias de chuva. “Direto eu presencio acidentes aqui, principalmente em dias de chuva. É uma pouca vergonha do pedágio não arrumar isso aí, não retirar esse óleo da pista, direto os motoristas rodam na pista, isso é pouca vergonha da Viapar que só quer receber e não arruma este trecho. Fazer ninguém vem, só querem receber”, desabava o borracheiro Enio de Paula.