Governo estuda construção de nova delegacia de polícia em Mandaguari

28/01/2012 00:38

Reunião realizada na tarde desta quinta-feira (26), na Delegacia de Polícia de Mandaguari, pode ser considerado o primeiro passo para a construção de um novo prédio para o órgão de segurança pública no município.

Participaram do encontro o delegado-chefe da Divisão Policial do Interior (DPI), Julio César Reis, o delegado-chefe da 9ª SDP, Osnildo Carneiro Lemes, o prefeito Cyllêneo Pessoa Pereira Júnior, o “Cileninho”, o delegado de Marialva, José Nunes Furtado (atendendo também Mandaguari na ausência do delegado titular, Zoroastro Nery do Prado Filho, que está em férias), o presidente da Câmara Municipal, Alécio do Cartório Bento da Silva Filho, o chefe de Gabinete da Prefeitura, Renato Navarro e o vereador João Jorge do Alambique Marques.

Existem duas propostas para a delegacia de Mandaguari. A primeira seria um projeto para reforma geral e ampliação das instalações atuais, já o município já repassou para a Segurança Pública um terreno ao lado. Mas, ao que parece, a intenção mesmo é a segunda opção, que seria a construção de um novo e moderno prédio num terreno de cerca de 8 mil metros quadrados, quase em frente ao atual, localizado na Rua Gomercindo Bortolanza, onde funciona a horta comunitária que é cultivada pelos detentos, fruto de uma parceria com a Secretaria de Assistência Social, a delegacia e Poder Judiciário.

Num trabalho do delegado Nery e sua equipe, as instalações da delegacia já foram ampliadas e novos espaços foram criados para um trabalho de ressocialização dos presos, que no último Natal, por exemplo, confeccionaram enfeites que decoraram as praças públicas da cidade.

         “Estamos fazendo está sondagem de terrenos e num segundo momento faremos nova visita ao município para avançar nas conversas com prefeitos e representantes da comunidade, mas, por enquanto não podemos garantir que projeto será implantado em Mandaguari”, explicou Nunes, referindo-se ao fato de ainda não estar definido se a cadeia passará por reformas ou se um novo prédio será construído.

         “Em relação ao pode público estamos abertos e com certeza, caso a opção seja uma nova obra, tanto a Prefeitura quanto a Câmara Municipal, aqui representada pelo seu presidente, irão trabalhar para que o terreno seja viabilizado”, frisou Cileninho.

         SUPER LOTAÇÃO – Outro fato citado na reunião foi a superlotação da cadeia pública de Mandaguari. Para se ter uma ideia, até esta quinta-feira a tarde, 76 presos dividiam um espaço que tem capacidade para 24 pessoas. “Este é um fator que conta para estudarmos a construção de um novo prédio”, ressaltou Reis.

         Por outro lado, o prefeito lembrou que “hoje o município cede 10 funcionários públicos que trabalham na delegacia, enquanto que o Estado tem um efetivo de nove profissionais, número que no início do nosso primeiro mandato era bem menor, pois apenas três servidores estaduais trabalhavam aqui”.