Familia Rosseto domina a qualidade do café e ganha o concurso

08/10/2011 03:23

Em um concurso muito concorrido  com produtores da região Mandaguari e Marialva  dominaram as premiações

O  titulo de melhor café ficou em Mandaguari com os produtores da familia Rosseto.

Concurso Qualidade Paraná de Café Foi realizado nesta sexta-feira (7/10), a etapa regional Maringá do Concurso Café Qualidade Paraná 2011, que avalia três categorias: Cereja Descascado; Café Natural; Pequeno Cafeicultor Familiar (Micro Lote).

As categorias Cereja Descascado e Natural são lotes de 10 sacas; o Micro Lote são lotes de 2 sacas.

Os ganhadores estão assim classificados:

Categoria Natural

1º lugar – nota 88 – (Excelente) – Ademir Antonio Rosseto, de Mandaguari (cooperado da Cocari)

2º lugar – nota 86 (Excelente) – Ronaldo Rosseto, de Mandaguari (cooperado da Cocari)

3º lugar – nota 86, com diferença de décimos na pontuação (Excelente) - Edson Lopes, de Mandaguari



Micro Lote

1º lugar – Olívia Fustinoni da Silva

De todas as amostras apresentadas para essa categoria, apenas a produtora se enquadrava nas exigências para participar do concurso.

Os critérios de avaliação do café de dona Olívia conferiram as seguintes pontuações:

Bebida limpa: notas de 7 a 8;

Gosto remanescente: 6 a 7;

Acidez: 6 a 7;

Corpo: 5 a 7;

Doçura: 6 a 7;

Balanço: 6 a 7;

Geral: 6 a 7.

Somados 36 pontos conforme determina a regra do concurso, totalizou 95 pontos: um café de classificação Especial raro.

Dona Olívia que, em 2009, foi campeã estadual e nacional na Categoria Natural, segue na competição com grandes chances de conquistar novamente os títulos, desta vez na Categoria Micro Lote.

O café do Ademir Antonio Rosseto e de Dona Olívia agora vão para leilão com os demais cafés analisados no Paraná. Desses, o de melhor prova, cada um em sua categoria, vai representar o Estado do Paraná no Concurso Nacional Abic de Qualidade do Café.



Sobre a análise dos cafés degustados

A escala da qualidade varia de 0 a 10. Os degustadores podem dar uma nota 6 para um café bom; 7 para o muito bom, 8 para excelente; de 9 acima para um café excepcional. Da soma de todas as notas, adiciona-se 36 pontos para obter a nota final. Isso é uma convenção. A tabela da Associação Internacional dos Provadores de Café faz a seguinte avaliação: quando um café tira de 90 a 100 pontos, é tratado como um café especial raro; de 85 a 89,99, é classificado excelente; de 80 a 85 é um café muito bom, classificado de Premium; nota menor que 80: qualidade especial; e abaixo de 75 é um café normal (esse é o padrão comercializado).





Coada

1º lugar – Luzia Cristina Medina Rosseto

2º lugar – Elza Aparecida Rosseto

3º lugar – Marcia Bento Ricardo



Pratos à base de café

Valorizando a diversificação da culinária à base de café também foram premiados os três melhores doces elaborados com café.

1º lugar – Gelado de Ricota com Café – Maria de Lourdes Piasentin, de Mandaguari;

2º lugar – Sorvete de Café – Maria Rosa Cedran Rosseto, de Mandaguari;

3º lugar – Bolo Mousse de Brigadeiro de Ameixa e Café – Vanessa Rosseto, de Mandaguari, (filha de Maria Rosa Cedran Rosseto).




Assessoria de Imprensa Cocari