90% dos professores estaduais aderem a mobilização

10/02/2012 09:32
APP confirma para 15 de março manifestação nacional que faz parte do calendário de mobilização da CNTE
Em Londrina, profissionais reuniram-se no Calçadão
Alunos de todo o Estado foram mais cedo para casa ontem
 
Curitiba - Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), mais de 90% dos professores e funcionários das escolas da rede estadual de ensino participaram ontem da mobilização que reduziu a carga horária das aulas. Em Londrina, segundo o presidente do núcleo da entidade, Antonio Marcos Rodrigues Gonçalves, entre 80% e 85% dos 10 mil profissionais que atuam nas instituições da cidade aderiram ao protesto.

''A participação foi grande, mas nem todos conseguiram se deslocar para o Calçadão, em frente ao (Cine Teatro) Ouro Verde. Entretanto conseguimos reunir quase mil pessoas no local. O importante é que a mobilização dos professores e funcionários foi positiva e conseguimos alertar a população sobre a nossa situação'', disse.

Na Capital, cerca de 500 professores se reuniram na manhã de ontem na Boca Maldita, no Centro. De acordo com Marlei Fernandes de Carvalho, presidente da APP-Sindicato, os atos também ocorreram em outras grandes cidades, como Maringá, Cascavel, Ponta Grossa, Foz do Iguaçu e Guarapuava. Nas cidades menores houve apenas distribuição de folhetos.

Entre as reivindicações da categoria estão o aumento de 20% para 33% da jornada de trabalho para a hora-atividade, período em que o docente fica fora de sala para pesquisar e preparar as aulas. Eles também cobram reajuste salarial, que deve acontecer em janeiro de cada ano.

''Essa mobilização é um alerta que fazemos para que as negociações com o governo avancem e a sociedade fique sabendo das nossas reivindicações'', destacou Marlei.

A presidente da APP-Sindicato adiantou que está confirmada para o dia 15 de março uma manifestação nacional dos professores que faz parte do calendário de mobilização da Confederação Nacional de Trabalhadores em Educação (CNTE). Nessa data a paralisação das atividades deve ocorrer por 24 horas. ''Esperamos uma resposta do governo estadual para nossos pedidos. Caso obtivermos uma proposta convincente, a mobilização pode ser suspensa. Vai depender do que eles nos apresentarem'', completou.

A Secretaria de Estado da Educação (Seed) já tinha se posicionado sobre a questão, afirmando em nota que ''o governo do Paraná e o sindicato estão negociando as reivindicações dos professores e que as reuniões são constantes''.